Contador do Conselho do Espírito Santo é premiado em Brasília

 

destaque

Um profissional da Contabilidade que atua no Espírito Santo brilhou, no último dia 24 de novembro, em Brasília. Walter Luiz da Costa foi premiado em solenidade realizada na sede do Ministério da Fazenda. O estudo “Contribuição à Metodologia de Apuração do Resultado Fiscal nos Estados Brasileiros: um estudo empírico de 2008 a 2015” recebeu menção honrosa na 21ª Edição do Prêmio Tesouro Nacional, criado em 1996 para estimular pesquisas na área de Finanças Públicas.

“Acredito que é uma conquista de todos nós contadores, mostrando um pouco do nosso potencial e capacidade de contribuição para aperfeiçoamento dos instrumentos de controle fiscal e social do nosso país. É uma alegria dividir com todos os contadores capixabas este prêmio”, disse Walter, que é Consultor do Tesouro Estadual da Secretaria de Estado da Fazenda do Espírito Santo desde 2010.

Inovação

Em 2011, Walter coordenou e implantou o novo Sistema Financeiro do Governo do Espírito Santo, em todos os órgãos e poderes do Estado, que integrou o Sistema Financeiro de Estados e Municípios (SIAFEM), o Sistema de Planejamento Plurianual (SISPPA), o Sistema de Planejamento e Orçamento (SIPLAN) e o EUREKA (BI).

“O novo sistema, além de atender as novas normas de contabilidade pública definidas pela Secretaria do Tesouro Nacional, juntamente com seus relatórios e demonstrativos, em conformidade com as NBC T (CPC/IPSAS), possibilitou maior agilidade, redução de tempo e segurança na produção da informação legal e gerencial em todos os níveis de governo”, explicou o contador.

O modelo de governança desenvolvido por Walter e operacionalizado através de coordenadorias colocou o Estado na dianteira em termos de sucesso na implementação deste tipo de sistema, tanto que foi reconhecido como um dos melhores pelo BID e tem servido de base para outros entes da federação.

Currículo

Graduado em Ciências Contábeis pela FIPI-SP, Walter Luiz da Costa é mestre em Ciências Contábeis pela FUCAPE/ES (Controladoria e Contabilidade Pública), com MBA em Finanças pela IBMEC/SP, pós-graduado em Administração Financeira pela FECAP/SP, com curso de Aperfeiçoamento na Wharton School – University of Pennsylvania, Philadelphia-USA.

Atuou por quase 30 anos em instituições financeiras nacionais e internacionais, ocupando cargos de alta gerência e diretoria desde 1985. Foi Diretor Adjunto de Planejamento e Controle do BANGERAL, depois BANESPA/SANTANDER;

Diretor de Meios (Administração) do Santander Banespa; e Diretor/Superintendente de Patrimônio do Santander. Foi membro do GTSIS/STN – Grupo Técnico de Sistematização das Informações Contábeis e Fiscais.

 Prêmio

Neste ano de 2016, o concurso apresentou como temas Política Fiscal e Contabilidade Pública, o que permitiu aos candidatos uma abordagem mais ampla sobre esses assuntos, que fazem parte da área de atuação do Tesouro Nacional. Ao todo, foram inscritos 113 trabalhos, oriundos de dezessete unidades da federação e da Espanha. Vinte e nove monografias foram elaboradas em grupo, com 40 coautores, totalizando 153 participantes. Participaram candidatos de mais de 20 áreas de formação, com destaques para as áreas de Economia (44 candidatos), Contabilidade (18), Direito (13) e Administração (11). Mais de 80% dos autores e coautores dos trabalhos do Prêmio possuem pós-graduação, sendo 52 com doutorado, 39 com Mestrado e 32 com especialização.

 

 

Classificação Tema Autores
1º Lugar Gerenciamento da Dívida, Política Fiscal e Ciclos Econômicos no Brasil. Helano Borges Dias
Joaquim Pinto de Andrade
2º Lugar Política Fiscal e Ciclo Econômico: uma análise baseada em multiplicadores do gasto público. Rodrigo Octávio Orair
Sergio Wulff Gobetti
Fernando de Faria Siqueira
3º Lugar Gasto Tributário: aspectos conceituais, experiência internacional e o caso do Brasil. Josué Alfredo Pellegrini
4º Lugar A Situação Fiscal e os Ciclos Políticos nos Municípios Brasileiros: uma análise a partir de dados em painel dinâmico espacial. Julyana Covre
Leonardo Bornacki de Mattos
5º Lugar A Formação do Estado Brasileiro a partir da Ótica do Gasto Público: uma análise do gasto por ministério entre 1822 e 2015. Rodrigo Rodrigues
Menção Honrosa Simulação de Parceria Público Privada para as Rodovias Federais: impactos positivos sobre o orçamento fiscal. Fabiano Mezadre Pompermayer
Menção Honrosa Contribuição à Metodologia de Apuração do Resultado Fiscal nos Estados Brasileiros: um estudo empírico de 2008 a 2015. Walter Luiz da Costa