CRCES alerta para vírus que muda numeração de boletos bancários

O Conselho Regional de Contabilidade do Estado do Espírito Santo (CRCES) alerta para uma ameaça virtual: trata-se de um vírus que muda a numeração de boletos bancários no momento do pagamento on-line, desviando os valores para a conta de laranjas e causando transtornos para Profissionais da Contabilidade.

Depois que o usuário informa o número do boleto correto, o vírus troca a numeração pelo número de um dos boletos gerados pelos hackers. A demora no processamento e lentidão na navegação durante o pagamento do boleto podem ser indícios de infecção pelo vírus.

O CRCES já registrou ao menos quatro casos, nos últimos dois meses, de boletos que tiveram as numerações de seus códigos de barras alteradas, provavelmente, por programas maliciosos (vírus).

Segundo matéria publicada em julho, no site UOL (Clique aqui), uma empresa de segurança eletrônica descobriu que uma gangue conseguiu infectar aproximadamente 192 mil computadores em todo o mundo e a maioria deles está no Brasil. Ainda segundo a matéria, o vírus espalhado pelo grupo, via e-mail, alterava a numeração de boletos bancários no momento do pagamento on-line e desviava os valores para a conta da gangue.

 

Segundo pesquisas feitas por funcionários do Conselho é possível conferir se o boleto emitido é, de fato, do cedente CRCES:

– Verifique se as três primeiras posições da numeração do código de barras conferem com o número 104 (código da CAIXA)

Verifique se os dígitos de posições 5 a 9 e 11 que, conjuntamente, devem indicar o código de cedente são iguais a 258204 (cedente CRCES conta 7307-9).

 

Confira as posições que devem ser observadas na imagem abaixo:

boleto

 

É importante lembrar que essa conferência ajuda o usuário na identificação do tipo de vírus aqui abordado, mas, o mais indicado é que o profissional, que for pagar um boleto pela Internet, tenha a certeza de que o está fazendo por meio de um computador seguro. Afinal, podem existir outros tipos de artifícios maliciosos que, mesmo não alterando a numeração do código de barras de um boleto, transfiram o valor de seu pagamento para contas de laranjas.

 

Como se prevenir dessa ameaça

– Utilize sempre as melhores soluções de segurança do mercado;

– Mantenha seu sistema e softwares sempre atualizados;

– Utilize sempre o mesmo navegador para acessar a conta bancária e use somente para essa finalidade;

– Evite instalar programas desconhecidos;

– Sempre desconfie de e-mails que solicitem algum tipo de acesso no corpo da mensagem

 

Como proceder se você já foi vítima

– Reveja a solução de segurança atual utilizada, se houve infecção pelo vírus, a mesma é falha ou está desatualizada;

– Atualize os softwares;

– Mantenha-se informado sobre ameaças virtuais e como agem, para evitá-las.

 

Caso tenha sido vítima desse tipo de vírus procure sua agência bancária para que tentem rastrear a destinação do dinheiro. E lembre-se: manter o computador sempre seguro é a garantia para que vírus como esse não façam mais vítimas.

 

Por Fernanda Rossi – Assessora de comunicação CRCES